Não ponha o dedo na tomada!


por Luiz Henrique Matos

Quantas vezes? Quantas vezes não nos deparamos com essa frase? Desde pequenos quando somos o alvo direto dessa exclamação até adultos, quando do outro lado, somos os exclamadores. Em minha ignorância, confesso, não sei porque aqueles buraquinhos na parede exercem tanta atração aos olhos e dedinhos minúsculos dos bebês. Invariavelmente, a voz paterna é ignorada, o dedo fura-bolo-indicador cutuca aquele pequeno orifício (que até brilha no escuro!) e brzzzz! o choque doloroso e assustador faz aquele “serzinho” derramar-se em lágrimas.

Não ponha o dedo na tomada! É o que nosso Pai diz muitas vezes na Bíblia. Essa bronca está disfarçada em passagens, histórias, versículos e mandamentos. Deus nos diz isso com seus próprios lábios ou através de seus servos. Temos livre acesso às escrituras e cada palavra ali impressa expressa a vontade manifesta do Senhor.

O escritor norte-americano Charles Swindoll disse certa vez que a melhor maneira de demostramos a Deus o nosso amor é pela obediência. Obediência àquilo que nos parece mais difícil do que ceder às tentações do pecado e nos esbaldar nos prazeres infernais de nossa carne. E obedecê-lo implica em seguir o que diz a Bíblia.

E finalmente, a Bíblia nos diz que devemos obedecer a autoridade do Senhor: “Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer “ (Tiago 1:25). Ele é o nosso Deus Criador, Salvador e Consolador e por isso, devemos a Ele o nosso compromisso, devoção e obediência. Jesus é o nosso melhor exemplo e quando o fez, pretendia nos estimular a um comportamento idêntico e formar uma família exemplar: “Pois qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe” (Mateus 12:50).

Temos também que obedecer as autoridades instituídas por Deus nessa terra: “Disse-lhe, então, Pilatos: Não me respondes? Não sabes que tenho autoridade para te soltar, e autoridade para te crucificar? Respondeu-lhe Jesus: Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fora dado” (João 19:10-11a). E pensar que o próprio Deus morreu submisso a autoridade de um homem cujo poder havida sido dado por Ele! O autor do livro de Hebreus resume a atitude de Cristo: “Ainda que era Filho, aprendeu a obediência por meio daquilo que sofreu” (Hebreus 5:8). Toda autoridade nessa terra foi levantada por Deus e se o Senhor os pôs em tal condição, por amor a Ele devemos obedece-las, assim como a Ele, independente de gostarmos ou não de suas regras.

Obediência requer submissão e isso é muito difícil, doloroso e vai contra esse nosso impulso humano de auto-suficiência. Mas se queremos a vontade de Deus em nós, devemos nos humilhar e lembrar sempre que somos apenas criação e sonho de Seu coração. E antes de tomar decisões racionais e humanas, é necessário trazer à memória o alerta Paterno e sua expressão mista de amor e repreensão, com o dedo indicador levantado e sua voz dizendo “Tsc… nãnãninanão! Eu já te falei, não faça isso!”.

“Se alguém me amar, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada” (João 14:23).

PS: Outros versículos sobre o assunto que valem a leitura: João 15:10, Josué 1:8, Mateus 7:21, Êxodo 19:5, Deuteronômio 5:29, 1 Reis 3:14, Mateus 7:24, Mateus 22:21 e Romanos 5:19.

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s