Três momentos na cruz


por Luiz Henrique Matos

O culto, literalmente, fervia. Um sol de trinta e tantos graus aquecia o teto e o ambiente daquele templo improvisado em um salão aberto nas laterais. O lugar era lindo, um sítio cheio de gramas, plantas, patos, galinhas e outros animais. A ocasião muito peculiar, um acampamento de verão daquela igreja local. Mas o fervor também acontecia pelo ambiente expontâneo de adoração naquela reunião. Todos envoltos em paixão, ligados e derramados em amor pelo Senhor e recebendo o melhor dEle em suas vidas.

Um grupo de irmãos foi chamado pela mulher que ministrava aquela reunião para orar por outras pessoas. Fui levado pelo Espírito Santo a orar por um amigo que estava ali e tive uma revelação sobre a vida dele. As palavras de Deus para aquele irmão, me marcaram e tenho certeza, estarão comigo para o resto de minha caminhada nessa terra.

O Senhor lhe dizia: “Filho, olhe para a cruz. Eu me lembrei de você quando estava ali“.

Ato 1: Pai, perdoa-lhes pois não sabem o que estão fazendo (Lucas 23:34 NVI)

Essa mensagem não foi só para ele. Tenho certeza de que ali, voluntariamente pendurado naquele madeiro, o Nazareno pensou em cada um de nós… seu sacrifício maior não foram as chibatadas, os cuspes, chutes, os cravos ou os pregos que Seu corpo sentiu. Sua dor maior foi ter sobre Si, o meu pecado e o seu. E o que até hoje não posso compreender, é que ali, Ele conseguiu nos amar e perdoar. Ele pensa em nós. Ele morre por nós.

Ato 2: Está consumado! (João 19:30 NVI)

Dói muito pensar em nossos pecados, cada um deles, é constrangedor. Pequenos delitos, momentos de descuido. Ao lembrar do sacrifício do Senhor e sua agonia, aquelas lágrimas e o sangue vertidos… aqueles pregos, a dor! Cada pecado rasga um pouco mais o corpo do Deus homem. Cada ofensa o faz agonizar um tanto mais em tristeza. Mas agora, existe um fato maravilhoso, Sua morte e dor nos libertaram do pecado, da doença, do inferno. Tudo foi apagado e lavado pelo Seu santo sangue. Ele chora por nós. Ele nos ama.

Ato 3: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito (Lucas 23:46 NVI)

Três dias se passaram, Seu corpo sumiu do sepulcro. Surge em seguida com a boa notícia da ressurreição. Seu convite é para que pensemos nEle, não como um mártir, mas como Deus. Ele morreu, mas Sua vitória efetiva está na vida, quando esmagou Satanás e libertou Sua criação para a eternidade. Jesus não está na cruz, Ele não está morto. E essa é toda a razão pela qual vivemos. Em Cristo, temos vitória, amor, perdão, paz, consolo… em Cristo, temos uma vida terna, vida eterna. Ele vence por nós. Ele vive para nós.

Atos: E o que temos feito por Ele?

Pensar nEle. Morrer por Ele. Chorar diante dEle. Ama-Lo. Vencer nEle. Viver para Ele… E então, depois disso, você e eu temos o privilégio de ser por Ele chamados filhos!

Olhe para a cruz. Ele pensou em você ali.

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s