Quadros tortos


por Luiz Henrique Matos

Tudo parecia perfeito. Dentro dos meus critérios foi também muito rápido, cerca de quarenta ou cinqüenta minutos. Eu havia medido cada centímetro até encontrar o centro. Então marquei com um lápis o ponto exato do local do furo, obedecendo altura e proporções adequadas. Me certifiquei de cada detalhe. Encaixei a broca na furadeira, posicionei a ferramenta na marca do lápis, cerrei os olhos e apertei o gatilho: vrrvrrrrrrrrrrmmmmm!!! O barulho era ensurdecedor, os farelos alaranjados de tijolo caíam no chão e o pouco de pó que não caía, vinha exatamente na direção de minhas narinas e eu espirrava sequencialmente.

E depois de mais dez ou quinze minutos medindo novamente a largura, acertando a profundidade, furando mais um pouco e espirrando outros tantos, consegui finalmente parafusar a base do porta-shampoos que eu queria instalar dentro do box. Agora era só encaixar o suporte de vidro, apertar a base, fazer os últimos ajustes, dar um passo vitorioso para trás e admirar minha obra: estava torto.

Torto! Depois de tanto tempo trabalhando com precisão nos furos e cálculo revisado inúmeras vezes, o porta-shampoos estava torto! Como pôde? Virado para baixo, qualquer coisa que fosse colocada sobre sua base escorregava e caia na direção do ralo. Porquê? Porquê essas coisas acontecem comigo?

E já não era a primeira, tampouco a segunda, nem mesmo a terceira vez. Quadros, torneiras, porta-chaves, tantas e tantas vezes. E com o fracasso, esvai-se a minha paciência e o um sentimento de impotência faz com que eu me sinta um sub-homem. Se não posso fazer algo tão simples, como então realizarei feitos maiores como… como… bem, a essa altura eu já nem queria mais realizar nada, queria apenas tomar meu banho e ter o shampoo bem acessível à minha frente.

Está certo, eu sei que cada pessoa foi criada com um dom e existem pontos fortes em todo mundo e coisa e tal, mas não fosse isso tão óbvio… o duro é que sempre preciso vivenciar essa realidade antes de ter plena certeza de quais são os meus possíveis dons e principalmente, quais certamente não são.

Vejo que isso é condicional, só sabemos qual é a nossa grande vocação quando passamos a exerce-la e então percebemos o quanto aquilo parece simples e prazeroso. Infelizmente, também só descobrimos quais são nossas “fraquezas” depois que somos humilhados e derrotados por elas.

Tantas coisas que me parecem tão fáceis. Vejo na televisão os vídeos de jogos de futebol e tenho a convicção de que sou capaz de acertar um passe preciso como o Ronaldinho Gaúcho, driblar como Robinho e fazer gols deslumbrantes como o Ronaldo Fenômeno. Então visto a minha camisa de futebol surrada e sigo confiante para o campo. Mas basta que alguém lance uma bola em minha direção e eu começo a suar frio, estendo a perna dura na direção da bola (crendo que aquilo pode vir a ser um chute), viro o rosto, fecho os olhos e a sinto bater no meu corpo e espirrar para um lado qualquer no gramado. Então olho para todos os lados até acha-la, corro na direção daquela coisinha redonda e forço um chute que, tenho certeza, irá direto para o gol, no ângulo, sem chances para o goleiro. Mas aí a bola faz uma curva estranha e sai pela lateral, atrás de mim!

Sou um esportista frustrado. E pensar que na infância sonhei ser um talentoso lateral direito de meu amado tricolor paulista. Só não posso dizer que também sou um pedreiro desapontado porque sinceramente nunca sonhei com essa profissão. Mas gostaria de saber cumprir com minhas “obrigações de homem” no lar. Bem, ao menos sei abrir vidros de azeitona!

Nós às vezes somos como o quadro torto na parede da sala, como o porta-shampoos mal colocado ou o prego, um simples prego, que para ser fixado demora cerca de duas horas e remove cinco centímetros de reboco à sua volta. Em certos momentos nos encontramos fora das expectativas de quem deseja e se esforça para nos colocar no lugar certo. Mas há uma diferença sutil nessa comparação: o erro está na peça (nós) e não no dedicado trabalhador por trás dela.

Deus nos faz com planos. Para cada um dos filhos que gerou ele tem grandes sonhos. Antes de nascermos nosso Pai planejou os nossos dias e vislumbrou um futuro grandioso, uma vida abundante, cheia de amor e verdade.

Não, não falo de predestinação. Falo de sonhos, sonhos de um Pai que quer ver o seu filho crescer e viver o melhor. Sonhos de um Pai que luta dia e noite para que sua criação não sofra.

E cada vez que nos desviamos desse plano com nossos pecados, rebeldias e negações, causamos no coração de Deus o suspiro triste de um lavrador que não pode saborear o fruto de seu penoso trabalho.

“Porque nisto consiste o amor a Deus: em obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados” (1 João 5:3).

Quem ama obedece, deseja agradar, busca os interesses da pessoa querida. E quando chegamos diante de nosso Pai com coração humilde, sem intenções egoístas e desejos estritamente pessoais, ele se alegra. E aí sim, estamos dentro de sua vontade: a de ter relacionamento e intimidade com seus filhos.

Ser trabalhado por Deus faz parte do plano de crescimento que ele tem para cada um de nós. Nisso se encaixam circunstâncias, vitórias, apertos e bênçãos. E durante esse crescimento, dentro de sua vontade, somos moldados pela sua mão precisa, para entrar em um espaço devidamente preparado, onde seremos expostos – sem perda de rebocos e medidas tortas – como obras-primas de sua criação.

2 comentários sobre “Quadros tortos

  1. o bom, é saber que esse mesmo construtor, é tbm o nosso Pai.
    os seus estudos são uma benção!

    Que vc possa ser luz, em todos os lugares onde vc for!!

    :D
    mesmo sem te conhecer!
    Eu te amo, por causa de Cristo, que vive em sua vida, e pelo mesmo Espirito Santo que habita em nossos corações!
    Amém!
    :*
    barbara!

    Curtir

  2. o bom, é saber que esse mesmo construtor, é tbm o nosso Pai.
    os seus estudos são uma benção!

    Que vc possa ser luz, em todos os lugares onde vc for!!

    :D
    mesmo sem te conhecer!
    Eu te amo, por causa de Cristo, que vive em sua vida, e pelo mesmo Espirito Santo que habita em nossos corações!
    Amém!
    :*
    barbara!

    Curtir

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s