Tudo o que é preciso ouvir

Às vezes, tudo o que a gente precisa escutar é a voz da esposa contando como foi o dia, o canto desafinado da filha repetindo um comercial da TV, um bom conselho do velho amigo ou, para os mais melancólicos, o barulho da chuva caindo lá fora. E às vezes, tudo o que a gente precisa ouvir é Bach.

Aqui, interpretado pelo violoncelista Yo-Yo-Ma, executando a Suite #1 – Prelúdio.

Uma música para o sábado a noite

O pianista brasileiro Nelson Freire toca “Jesus, alegria dos homens” de Johann Sebastian Bach. Trilha sonora ideal – e inspiradora – para escrever no frio.

Agora, por favor, me dá licença porque eu vou beber um chocolate quente.

Glenn Gould plays Bach

Confesso minha ignorância: até hoje eu não conhecia Glen Gould. Mas visitando o blog da Livraria Cultura, li o post com esses dois vídeos originais do pianista (considerado por muitos o melhor intérprete de Bach) e não resisti.

Estilo, diversão, envolvimento e técnica absurda. Como bem define o Wagner Brenner (autor do post): “dê um minuto para ser fisgado”.