A liberdade portátil

Na Idade Média, os livros eram copiados à mão e, por isso, extremamente custosos; uma dama da nobreza britânica pagou a cópia de um livros de orações, em determinada ocasião, com diversas cabeças de gado. Por causa da invenção da imprensa, na metade do século XV, a difusão do livro experimentou um salto surpreendente. No século XVI, algumas casas editoras européias passaram a publicar livros em formatos pequenos (enquanto os livros medievais eram enormes e só podiam ser lidos sobre uma mesa apropriada). Esses livros menores podiam ser carregados e lidos em qualquer parte. Por isso, uma casa editorial, a dos Irmãos Trechsel, adotou como lema a frase latina “Libertatem meam mecum porto”, que significa “Carrego comigo minha liberdade”.

Trecho da crônica “A liberdade portátil”, do meu amigo Rui Luis Rodrigues no site da Carisma.

Realização do homem, realização de Deus

Rui Luís Rodrigues é um pensador e eu o admiro. Não porque ele seja pastor da minha comunidade, mas porque sua capacidade de trazer a verdade à tona supera a resistência inicial que qualquer um tenha à sua mensagem indigesta. E encanta. A cada vez que o ouço anunciar as boas novas ou leio algumas de suas reflexões, encontro algo que tem espelho naquilo em que firmo a minha fé e esperança.

Agora o Rui escreveu um livro. E que livro! Ainda estou no começo da leitura, mas fico feliz em saber que posso ter e consultar um olhar muito particular do Reino que me amplia a visão.

Abaixo, segue a capa do livro “Realização do homem, realização de Deus” publicado este mês pela Editora Reflexão. Estou colando também o texto da contra-capa, caso queira mais detalhes.

Realização do homem, realização de Deus

Realização do homem, realização de Deus

A obra que você tem em mãos reúne os ensaios escritos pelo teólogo e historiador brasileiro Rui Luis Rodrigues. Convencido de que a principal tarefa da teologia cristã é a de construir pontes entre a fé e a cultura, o autor defende que sem o diálogo entre a igreja e as pessoas da presente geração, qualquer missão cristã pode ser considerada inviável. A teologia cristã não nasceu para ser exemplo consumado de irrelevância!

Realização do homem, realização de Deus é uma obra composta por artigos independentes mas, ao mesmo tempo, conectados. Apresenta a teologia cristã como exercício plenamente humano e reflexivo, valorizando as riquezas da Escritura, mas também da História.

A partir de duas intuições fundamentais, aquela que destaca a percepção de um Deus interessado em levar o ser humano à realização dos seus potenciais, e uma outra que procura identificar o impacto, sobre a igreja e a teologia, da modernidade e suas especificidades, o autor procura
demonstrar que a autêntica teologia, na condição de serva da igreja e serva de Deus, jamais será incompatível com a verdadeira espiritualidade.

Rui Luís Rodrigues

O autor é professor de Teologia Dogmática na Faculdade de Teologia Comunidade Carisma, em Osasco/SP. Graduado em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, ele atualmente realiza estudos de pós-graduação em nível de Doutorado em História Social na mesma Universidade.