Resgate


Havia um tempo em que a fé era simples, em que a oração era simples, acreditar era simples.

Havia um tempo em que a comunhão era plena, em que cada suspiro era adoração, existir era contemplar.

Havia um tempo do primeiro amor, das primeiras experiências, em que tudo era novidade e encanto.

Havia um tempo em que as escrituras eram sagradas, em que a devoção era constante, Deus era tudo em todos.

Havia um tempo em que éramos reverentes, em que obedecíamos por amor, escravos da graça.

Havia tempo que esse sentimento não vinha à tona, que o peito já não rasgava em arrependimento, as lágrimas brotavam em gratidão e os lábios se abriam em louvor.

Há sempre tempo.

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s